ivc.png

ALESC

Lei dos 60 dias é tema de audiência pública na Alesc

09 Julho 2018 09:06:00

Para o biênio de 2018/2019, estima-se a ocorrência de cerca de 600 mil novos casos de câncer no Brasil. Entre as mulheres, o tipo mais frequente é o câncer de mama, podendo chegar a 59 mil novos casos.

Comunicação ALESC
Foto: Silviane Mannrich

A Lei Federal de nº 12.732/12, que determina o prazo de até 60 dias a partir do diagnóstico para que pacientes com câncer iniciem o tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), foi tema de uma audiência pública no último dia 5, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). O evento, proposto pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal, através da deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), reuniu 19 organizações da rede de câncer coordenada pela Associação da Mulher Catarinense portadora de Câncer (AMUCC) e representantes do poder público para debater a efetivação da lei nas unidades oncológicas do estado.

Para o biênio de 2018/2019, estima-se a ocorrência de cerca de 600 mil novos casos de câncer no Brasil. Entre as mulheres, o tipo mais frequente é o câncer de mama, podendo chegar a 59 mil novos casos. 

Presidente da Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer, Carmen Zanotto aponta as barreiras geográficas, financeiras e organizacionais como alguns dos fatores que dificultam o acesso de pacientes aos serviços oncológicos. "A ausência de procedimentos e medicamentos, a defasagem dos valores repassados pelo SUS são barreiras de acesso." 

Diagnóstico e acesso aos serviços oncológicos

Apresentado em 2011 pela deputada Carmen, o texto original da Lei 12.732/12 estabelecia o prazo máximo de até 30 dias para que o paciente, já diagnosticado, tivesse acesso aos serviços oncológicos. "Mas o prazo ficou firmado em 60 dias porque nós tivemos de negociar com o governo em virtude de regiões do país muito mais desassistidas que Santa Catarina", explicou a parlamentar. 

Para que a lei seja efetivamente cumprida, a parlamentar pontua que é preciso haver a ampliação da infraestrutura pública, com a construção de novas unidades de assistência e garantia de prévio diagnóstico a todos os pacientes. 

Conforme a presidente da AMUCC, Leoni Margarida Simm, o agravante maior está na demora de diagnóstico. "Antes de dar acesso ao tratamento, existe um problema maior, levamos muito tempo pra diagnosticar e então, quando os primeiros sinais aparecem, até nós termos o diagnóstico, às vezes o câncer já cresceu muito e se torna incurável". 

De acordo com a superintendente de recursos reguladores da Secretaria Estadual da Saúde, Karen Geller, a região onde existe maior ocorrência de filas com mais de 60 dias é a Foz do Itajaí. 

"O que vemos de maior problema é o acesso ambulatorial. Ainda temos muitos pacientes com dificuldade de chegar ao serviço, parte disso pela grande resistência das unidades de oncologia em receber o paciente de forte suspeita. A maioria só aceita receber com diagnóstico e acaba que muitos municípios têm muita dificuldade em dar acesso aos exames, consultas", explicou Karen. 

Como encaminhamento da audiência, foram pontuadas as maiores dificuldades a serem levadas a Brasília para serem trabalhadas. "Precisamos trabalhar para que tenha, por exemplo, o serviço de São Miguel do Oeste, que ainda está em fase de estruturação física, que funcione o mais rápido possível. Mas não basta colocar em funcionamento, o Estado precisa receber os recursos do Ministério da Saúde para fazer que o serviço ande. O Estado cuida de garantir a estrutura física e nós, em Brasília, trabalhamos para que o Ministério da Saúde habilite o serviço", afirmou a deputada federal.

Imagens

Foto: Silviane Mannrich


Lista da editoria


11 Julho 2019 13:08:00

Autor: Assessoria de Imprensa por CO

05 Julho 2019 13:39:00

Autor: Elaine Leal

04 Julho 2019 10:49:00

Autor: Assessoria de Imprensa por CO

26 Junho 2019 14:01:00

Autor: Elaine Leal

21 Junho 2019 14:19:00

Autor: Correio Otaciliense

20 Junho 2019 14:19:00

Autor: Elaine Leal

13 Junho 2019 15:26:00

Autor: Elaine Leal

13 Junho 2019 15:04:00
RECONHECIMENTO

Ele destacou o papel exercido pela maçonaria, uma das instituições com maior credibilidade e qualidade no país.

Autor: Assessoria de Imprensa por CO

12 Junho 2019 09:34:00

Autor: Elaine Leal

12 Junho 2019 08:18:00

Autor: Elaine Leal

06 Junho 2019 12:14:00

'Minha passagem pelo HSC soma 25 anos de serviços prestados à essa importante Entidade de nosso município', diz Robson.

Autor: Robson Oliveira Medeiros por CO

31 Maio 2019 16:27:00
HOMENAGEM

O ex-governador destacou que Santa Catarina é um estado de referência.

Autor: Assessoria de Imprensa por CO

30 Maio 2019 17:49:00

Autor: Elaine Leal

28 Maio 2019 13:22:00

Tanto os otacilienses quanto os palmeirenses podem participar doando algum item.

Autor: Elaine Leal

24 Maio 2019 15:37:00
MAIS MÉDICOS

As novas regras de adesão reduzem o número de vagas de profissionais em todo o Estado


24 Maio 2019 15:07:00
ADOÇÃO

Embora existam cerca de 3,4 mil pessoas habilitadas para adoção no Estado, remanescem em abrigos outras 200 crianças e adolescentes que infelizmente não preenchem o perfil desejado pelos pretendentes.

Autor: Núcleo de Comunicação Institucional do TJSC por CO

23 Maio 2019 13:06:00

Autor: Elaine Leal

23 Maio 2019 12:00:00

Autor: Assessoria de Imprensa por CO

22 Maio 2019 14:31:00

Autor: Robson Ribeiro/ CO

21 Maio 2019 10:41:00

Os protetores ambientais de Otacílio Costa receberam o uniforme do programa e se preparam para o desfile de Sete de Setembro.

Autor: Elaine Leal






correiootaciliense




Logo_CO_rodape.png
IVC.jpeg

Endereço: Rua Aristeu Andrioli, 592 - B. Pinheiros - Otacílio Costa - SC
Email: correiootaciliense@gmail.com
Telefone: (49) 3275 0857

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio Otaciliense