ivc.png

Outubro Rosa: Conheça a história de mulheres que venceram a batalha contra o câncer

Uma das histórias é a da senhora Olminda Alves de Andrade.

Elaine Leal

Uma das histórias é a da senhora Olminda Alves de Andrade, 69 anos, moradora do Centro Administrativo, que descobriu, em um exame de rotina na Unidade Básica de Saúde (UBS), em 2012, a existência de alteração em sua mama. "A médica do posto de saúde me pediu para fazer uma mamografia de rotina. Quando ela checou o resultado do exame percebeu algo diferente e me orientou a procurar um mastologista", disse a idosa. Uma biópsia constatou que o nódulo era maligno. 

A aposentada contou que inicialmente ficou em choque com a notícia, mas afirmou que as mulheres não devem ter medo de encarar a doença de frente e fazer o tratamento. "Naquele dia fiquei sem chão, mas apesar do susto, como eu sempre me cuidei, descobri o câncer na fase inicial", disse.

Olminda precisou fazer as sessões de quimioterapia e de radioterapia, porém, ressaltou que em nenhum momento desanimou, pois como havia descoberto a doença na fase inicial, sabia que a chance de cura era grande.

"Eu fazia meu tratamento e quando chegava ia trabalhar. O trabalho foi essencial naquele momento da minha vida, pois não me permitia ficar pensando na doença".

A médica do postinho foi importante neste processo, declarou a senhora.

"Estamos no Outubro Rosa e as mulheres precisam ir às UBS para fazer os exames", pontuou Olminda, que fez questão de agradecer à médica da Unidade que a atendeu em Otacílio Costa. Ela ressaltou que o atendimento e cuidado dos profissionais do posto foram fundamentais para a doença ser diagnosticada no início. "O médico do posto é muito importante. Sei que muitas pessoas falam que eles não orientam bem, mas se não fosse aquela médica eu não saberia o que já estava acontecendo comigo. Sou grata".

Ela deixou uma mensagem para as mulheres que estão na luta contra o câncer. "Não fiquem com medo do diagnóstico. Não esperem, pois quanto mais cedo se buscar um médico mais fácil será o tratamento", sentenciou.

Ela chamou atenção, ainda, para a importância da família e dos amigos para enfrentar a batalha mais difícil de sua vida. "Eu tive todo o apoio da minha família e dos meus amigos. Até uma janta beneficente fizeram para arrecadar dinheiro para minha cirurgia", declarou ela que, desde a cirurgia, não encontrou mais nenhuma alteração em seu corpo.


Imagens





correiootaciliense




Logo_CO_rodape.png
IVC.jpeg

Endereço: Rua Aristeu Andrioli, 592 - B. Pinheiros - Otacílio Costa - SC
Email: correiootaciliense@gmail.com
Telefone: (49) 3275 0857

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio Otaciliense