Siga-nos nas Redes Sociais:


EM DIA COM A FÉ

O Dó da vida: Como ter referência num mundo em constante mudança?

Alisson Magalhães, pastor da Igreja do Nazareno, publicitário e jornalista
alegria.jpg

"Seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a Palavra de Nosso Deus permanece eternamente." (Isaías 40:8)

Na vida, tantas coisas dão voltas. As pessoas mudam, cometem erros, são atingidas por imprevistos, prosperam, entram em falência, mudam de emprego, mudam de moradia, dentre outras mudanças. O tempo passa, as pessoas nascem e morrem e, por conta da tecnologia, essas mudanças podem ocorrer em períodos de tempo cada vez menores, mas esse é o ciclo normal da vida. Tudo em constante movimento e mudança. É difícil olhar para algum lugar e ver uma referência.

Sabe, em tempos de mudanças, quando estamos no meio de tantas coisas vulneráveis e efêmeras que nos cercam, apenas uma subsiste a tudo o que se levante e permanece firme apesar de qualquer tempestade, qualquer temporal. Nada a pode abalar. É Imutável, Imortal, Verdadeira e Única: A Palavra do Senhor!

O homem pode rejeitá-la, praguejar contra ela, revoltar-se, negar-se a crer nos seus ensinamentos, tentar provar que não é (ou não foi) como está escrito, tudo isso por pura perda de tempo, pois ela é a Palavra do Deus Único e Verdadeiro, que ama a humanidade com um amor tão profundo que investiu cerca de 1600 anos da história humana e se utilizou de cerca de 40 escritores diferentes ao longo destes, só para deixar Sua Palavra como guia, para ser nossa regra de vida, nossa ética. Ela é e sempre será eterna e imutável como o é o Senhor Deus. Quer o homem creia ou não! É dela que o ser humano retira a perfeita essência do "ser ético", pois ela é a fonte da sabedoria e da justiça, e seu autor é imutável.

Em tempos em que tudo muda, precisamos de uma palavra que nos sirva de guia, e de um Deus que seja, para nós, um ponto de referência. Precisamos de um Deus que não mude. Precisamos de um Dó em nossa vida. Permita-me explicar.

Lloyd Douglas, um famoso escritor americano, conta que, na faculdade, morava num alojamento. Um professor de música aposentado, que usava cadeiras de rodas, morava no primeiro andar. O autor conta que, todas as manhãs, colocava a cabeça na porta do apartamento daquele velho professor e fazia sempre a mesma pergunta: “Bem mestre, qual é a boa notícia”? O velho professor pegava seu diapasão, batia com ele no lado da cadeira de rodas, soprava e dizia: “A boa notícia é que esse é o Dó! Foi o Dó ontem; será o Dó amanhã, e será o Dó daqui a mil anos. O tenor do andar de cima canta abemolado, o piano do outro lado da sala está desafinado mas, meu amigo, esse é o Dó”.

Não é disso que precisamos? Eu e você precisamos de um Dó. Já experimentamos mudanças suficientes em nossa vida. Relacionamentos se desgastam, acabam, a saúde muda, a beleza se esvai, mas meu caro, o Deus que governou todo o universo na semana passada é o mesmo que governa hoje. A mesma palavra. A mesma convicção. O mesmo plano. O mesmo humor. O mesmo amor. Ele nunca muda, e é por isso que pode ser nosso ponto de referência no tempo. Um ponto de repouso num mundo em rotação.

Quando alguém vive e age com alguma ética, assim o faz porque um dia o Senhor instruiu o homem como obra-prima da Sua criação, mostrando o certo e o errado; e mesmo após a queda, deixou no homem caído lampejos – marcas – do Seu caráter ético. Sozinhos, portanto, sem a Palavra de Deus, nosso conceito ético nunca estará completo (quer acreditemos ou não), será apenas um lampejo, e é por isso que a sociedade tem caminhado de mal a pior. Precisamos resgatar o papel da Palavra de Deus em nossas vidas. Tudo passa, tudo muda, mas a Palavra do Senhor subsiste para sempre.

Tenha uma boa semana,

Pastor Alisson Magalhães

 







WhatsApp Image 2021-04-26 at 08.59.40.jpeg

16133910719710.jpeg

correiootaciliense


Logo_CO_rodape.png
IVC.jpeg

Endereço: Rua Aristeu Andrioli, 592 - B. Pinheiros - Otacílio Costa - SC
Email: correiootaciliense@gmail.com
Telefone: (49) 3275 0857

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio Otaciliense