Siga-nos nas Redes Sociais:




ESPECIAL

Quando o sonho - e a fé - vencem a dor e o medo

Otaciliense conta sua jornada na luta para vencer a trombofilia e realizar o sonho de ter uma segunda filha

Alisson Magalhães / CO
Foto: Janira Schulze | Arquivo Pessoal

O próximo domingo, 8 de maio, será uma data comemorada e festejada por diversas famílias, mas será um dia ainda mais especial para a empresária otaciliense Janira Schulze, 39 anos e para o marido, Marcos Oliveira. Isso porque será o primeiro Dia das mães dela junto às pequenas Ana Clara, 07 anos, e Melina, que acaba de completar dois meses de nascimento, esta última fruto da coragem, dedicação e fé da empresária.

A data, para Janira e Marcos Oliveira, é um símbolo de superação, conquista e alegria, aliadas a muita gratidão, por poder segurarem a segunda filha nos braços. Isso porque a chegada da primeira filha do casal, Ana Clara, realizou o primeiro sonho de Janira: ser mãe. "Ana Clara foi um bebê muito sonhado e desejado. A vinda dela foi uma realização do sonho que sempre tive em ser mãe. Sonhava em ter uma filha menina, pela proximidade e cumplicidade que eu e minha mãe sempre tivemos, sonhava viver isso também. A vida da gente se transforma, com a vinda de um filho, pois agora a vida dele depende totalmente da nossa", conta.

Após o primeiro sonho realizado, a dor da perda

Janira conta que, já com dois aninhos, Ana Clara pedia um irmãozinho, e o casal manteve o desejo de ter um segundo filho. A gravidez veio mas durou pouco tempo. Janira teve o primeiro aborto espontâneo. "Um momento muito difícil, foi necessário algum tempo para viver o luto e se recompor emocionalmente para nós darmos sequência ao nosso sonho, um segundo filho aqui conosco. Alguns meses depois veio a terceira gestação, e novamente mais um aborto espontâneo", recorda, explicando que após a segunda gravidez interrompida ela realizou os testes e recebeu o diagnóstico de Trombofilia hereditária, uma condição que causa alteração na coagulação sanguínea, provocando a formação de trombos (coágulos) e, de acordo com a Mobius Life Science, atinge cerca de 15% da população com a pré-disposição, caso de Janira.

Ela chegou a se submeter a um tratamento, que não foi suficiente para manter a quarta gestação, e, mais uma vez, a família precisou enfrentar a dor da perda. A família, então, buscou um especialista e foi pelas mãos do Dr. Jonny Arruda, especialista em gravidez de alto risco, que a preparação para a realização do sonho funcionou. 

Janira Schulze | Arquivo Pessoal - Janira e Marcos com as pequenas Ana Clara e Melina.

'Aprendi muito, ao longo de meus 40 anos, sobre sonhar e realizar'

Com o diagnóstico e o tratamento corretos, o caminho na realização do sonho da família passaria a exigir de Janira o tipo de amor que supera quaisquer dificuldades, uma lição que ela aprendeu ao longo de suas experiências. "Aprendi muito ao longo dos meus quase 40 anos, sobre sonhar e realizar, a não desistir. Apesar de toda a dor nesses 3 abortos, eu pude também aprender, porque ali tivemos a oportunidade de viver uma grande experiência sobre o amor. A cada gestação, foi um troca muito grande de amor, nós vivemos o amor de cada um deles no nosso lar, e isso é uma grande experiência. Eu sei que hoje eles não estão aqui conosco, mas estiveram, 3 vidas que já estiveram aqui, e é isso que importa hoje! Sempre lembramos deles em nossas orações", conta Janira, que para o sucesso da quinta gestação precisou se submeter a mais de 300 aplicações de injeções diárias do remédio.

A dor, porém, nunca superou o desejo e a fé da família, incluindo a pequena Ana Clara, que passou por toda dificuldade dos três abortos. "O primeiro passo para realizar um sonho é acreditar, e eu, o Marcos e a Ana Clara acreditávamos que seria possível. Eu pensava, se Deus nos proporcionou a Ana Clara, quando ainda não fazíamos ideia da existência da trombofilia, nós conseguiremos com o tratamento, o tão sonhado filho e irmão para a Ana Clara. A Ana nos impulsionou muito, pois ela tinha o sonho de ter um irmão".

Mesmo com os depoimentos encaminhados a nós entre lágrimas, Janira encoraja outras mulheres a não desistirem de seus sonhos. "Para mim a vontade de realizar esse sonho era maior que o medo e a insegurança. Eu encorajo todas as mulheres que sonham com a maternidade. Espero que de alguma forma, eu possa inspirar, assim como também fui inspirada por casos de sucesso, mães que venceram a trombofilia! Hoje eu olho para a Melina, com 2 meses de idade, já sorrindo para nós, lembro tudo o que passamos, me emociono e agradeço pela oportunidade de mais uma vez estar vivendo a maternidade", finaliza, salientando que desistir nunca esteve nos planos da família.

Através da linda história de Janira, Marcos, Ana Clara e Melina, o jornal Correio Otaciliense homenageia todas as mamães pelo seu dia.




correiootaciliense


Logo_CO_rodape.png

Endereço: Rua Aristeu Andrioli, 592 - B. Pinheiros - Otacílio Costa - SC
Email: correiootaciliense@gmail.com
Telefone: (49) 3275 0857

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio Otaciliense